Carregando...

News

July, 10, 2012

 

Folclore maranhense vai ser destaque em festivais pelo país

Os Foliões participará de eventos em São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina nos meses de agosto e setembro.

Há 18 anos contribuindo para a disseminação da cultura maranhense no Brasil e exterior, o grupo Os Foliões participará em agosto de dois importantes eventos: os festivais internacionais do Folclore de Nova Petrópolis, no Rio Grande do Sul, e de São Bernardo do Campo, em São Paulo. Além disso, alguns componentes do grupo serão jurados no Festival Internacional de Danças Folclóricas de Criciúma, em Santa Catarina, em setembro.

Em 2013, Os Foliões deverá participar, no segundo semestre, de um congresso de folclore na China, a convite da International Organization of Folk Art (Organização Internacional de Artes Populares), organização que mantém relações oficiais com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e protege todas as manifestações culturais que o órgão internacional preserva, desde que sua finalidade seja a de promover a paz entre os povos.

Segundo o diretor do grupo, William Moraes Corrêa, um número entre 20 e 25 integrantes do grupo folclórico embarcará para representar o Maranhão nesses festivais. Lá, eles apresentarão não somente o espetáculo que costumam mostrar no período de Carnaval, mas também outras propostas, como o projeto Folias Juninas, relativo às danças e ritmos do período de São João, bem como os espetáculos Baião de Seis, de dança afro, e o reisado Folias de Natal.

“Levamos um pouco das nossas danças e tradições aos lugares onde nos apresentamos fora do Maranhão. É uma amostra de nossa diversidade cultural. É um grande prazer representar o nosso estado lá fora. Geralmente, não contamos com patrocínio ou ajuda para custear as despesas, o que dificulta a atividade”, disse William Moraes Corrêa.

Um dos festivais mais importantes de que eles participarão é o Festival Internacional de Folclore. O evento valoriza as tradições e os costumes legados pelos antepassados, em uma mescla das mais distintas manifestações culturais. É um intercâmbio artístico-cultural entre os grupos participantes, iniciado de forma humilde em 1973, por um grupo de amigos. O evento ocorria no mês de julho, estritamente voltado para apresentações de danças folclóricas alemãs, incentivando a participação de grupos do Rio Grande do Sul e visitantes. Com o passar do tempo, tomou grandes proporções e agora avança para o mês de agosto.

Viagens - Os integrantes de Os Foliões já estiveram em países como França, Bélgica, Canadá e Estados Unidos. No Brasil, passaram por São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Pernambuco. Em São Bernardo do Campo, segundo William Moraes Corrêa, eles já estiveram em outra oportunidade no mesmo festival, mas com um número menor de membros. Ano passado, eles participaram do Festival Internacional de Caruaru, em Pernambuco.

Nas apresentações, Os Foliões destaca ritmos como bumba meu boi, coco, cacuriá, baião, tambor de crioula e quadrilhas. Durante o São João deste ano, as apresentações aconteceram em conjunto com o Grupo Gamar, com figurino assinado por Dell Rodrigues e direção-geral do professor Wilson Chagas, diretor do grupo Gamar.

Segundo William, Os Foliões homenageará neste ano o mestre Walmir Moraes Corrêa, o mais premiado dirigente carnavalesco do Maranhão e presidente-fundador do grupo. No dia 27 de junho, foi celebrada missa na Igreja de São Pantaleão (Centro), em memória ao mestre, que morreu há dois anos.

Mestre Walmir se destacou como educador, dirigente cultural, artista, compositor, artesão e ritmista. Recebeu diversos prêmios em vida, dentro e fora do Maranhão. Seu nome ficou marcado na história da arte popular maranhense. “Futuramente, o Memorial Walmir Moraes Corrêa servirá para mostrar às gerações futuras a dedicação de um homem pelo ser humano e pela arte popular de seu país. Seu nome foi dado também a um concurso literário e a uma sala na sede do grupo Os Foliões, na Rua Isaac Martins, próximo à Fonte do Ribeirão, no Centro, em São Luís”, informou William.

Walmir Moraes Corrêa foi fundador-presidente da tribo de índio carnavalesca Os Apaches, famoso nas décadas de 1950 e 1960. Dirigiu o bloco tradicional Os Vigaristas, pelo qual foi campeão duas vezes no Carnaval. Em 1976, ele fundou o bloco tradicional Os Foliões. Além disso, foi diretor-fundador da Academia Maranhense de Blocos Tradicionais (AMBT) e participou de vários eventos no Brasil e exterior (América do Norte e Europa). Recebeu ainda diversas comendas culturais. Seu aniversário, celebrado em 8 de maio, é reconhecido como Dia Municipal do Bloco Tradicional.


Source: Jornal O Estado do MA




Printable version
Send to a friend
Comment

» 0 comments

Be the first to comment.

Back